Exibimos propagandas pois acreditamos que todo aquele que produz conteúdo e compartilha conhecimento merece uma fatia da enorme riqueza gerada pela internet.

By The Light of The Moon - Los Lobos

Daqueles discos que se compra esperando uma coisa, mas vem outra. Achei que se tratava de algo mais "la bamba", mexicano caliente o cosa asi. Mas é meio rockinho, meio folk, meio balada, meio animado, meio triste... Em verdade, meia boca...


Chaos AD - Sepultura

No dia que mais um ladrão comemora vitória nesse pobre Brasil carcomido pela safadeza na política só nos resta dizer REFUSE RESIST! Minha indignação e tristeza pelo nosso momento político não me deixa escrever muito. Mas quero registrar que, na minha modesta opinião, este é o melhor disco do Sepultura.

The Sound Of The Night - The Midnight Orchestra (Eumir Deodato)

Olha aí um dos mais de 500 discos que tem participação do Eumir Deodato. O carioca é um monstro da música. Trabalhar com gente como Aretha Franklin e Frank Sinatra, ter 16 discos de platina e um Grammy, possuir uma interpretação que foi a segunda mais ouvida nos Estados Unidos, entre outras proezas, não é para qualquer mortal. 

Um disco dele está na minha lista prioritária de desejos, o aclamado "Prelude". Lá está essa música de sucesso estrondoso comentada acima. Diz a wikipedia: "O álbum surpreendeu a todos com uma versão jazzística e suingada da introdução de Also sprach Zarathustra, do compositor de música clássica Richard Strauss durante o ano de 1973". Nunca ouviu? Vá atrás e corrija este pecado.

No disco abaixo ele faz a regência e os arranjos. As músicas são todas muito suaves e românticas. Easy listening na melhor acepção do termo.
No disco que tenho aqui em condições perfeitas, Deodato faz os arranjos e a regência. Infelizmente não há ano de lançamento. Certamente um das peças mais lado B do artista. 
Confere a página oficial do Eumir Deodato.

Concerto Saint-Preux

Saint-Preux (nome artístico de Christian Langlade) nasceu em 1950, em Paris, e é um compositor de música clássica contemporânea, que combina elementos da música popular e da música eletrônica. Nesse disco de 1974 a tônica foram composições que poderiam tocar em qualquer igreja. Há um pezinho na música sacra, como a capa também sugere. A vocalização feminina na primeira música é linda. Não há letra, mas um cantarolar feliz e bem acompanhado. Prelude Pour Piano cai em tom bem mais dramático, com violino chorando junto. Cuidado, pode levar alguém às lágrimas como algumas outras da obra! Já em Andante Pour Trompete é o próprio sopro que dá o tom choroso, mas já com uma ponta de esperança. E assim vai até o fim, alternando tensão e uma alegria controlada. 


Let´s Dance On Bradway - Harry Arnold & Swedish Radio Studio Orchestra

Harry Arnold foi um saxofonista e líder de banda nascido na Suécia em 1920 e falecido em 1971 no mesmo país. A maior parte da sua carreira foi como músico de estúdio, na qual atuou em diversas trilhas sonoras de filmes. No disco abaixo ele e sua Swedish Radio Studio Orchestra, com a qual trabalhou de 1956 to 1965, se dedicam à músicas criadas para espetáculos da Broadway. São diversos clássicos, principalmente de Cole Porter,  perfeitamente executados. Um belo disco de jazz.


The Sons of the Pioneers - Sing the Songs of Bob Nolan

Bob Nolan foi um famoso cantor e compositor de música country. Atuou também no cinema, em aproximadamente 88 filmes de faroeste. O cara tinha um talento reconhecido, por isso mais de uma vez teve a chance de se tornar uma grande estrela, mas sempre recusou tais propostas. O disco abaixo, prensado nos Estados Unidos em 1966, é do grupo "The Sons Of The Pioneers", que foi fundado pelo próprio Nolan, junto com Leonard Slye e Tim Spencer. Todas as canções foram compostas por Nolan, e como bem escrito na contra capa, em uma tradução livre, "na sua música estão refletidas as forças do oeste, pureza, simplicidade, honestidade e realismo". Um bom álbum, country de raiz na sua mais plena forma. Destaque para a última do lado A. "You Are My Eyes" é lindíssima e traz emoção em nível máximo. 

101 Strings

Não encontrarás melhor texto em português sobre essa orquestra do que o que está publicado na Consultoria do Rock. A Wikipedia só tem página em inglês e mandarin (?) sobre essa penca de músicos, alguns dos maiores do estilo "música de elevador". Por aqui tenho 5 discos deles. O que mais chama atenção é o de "música de filme erótico". Esse da bonitona aí embaixo não dá para ouvir com crianças na sala. O geme geme da moça é intercalado com composições onde um galanteador fica falando gracinhas para conquistar a fêmea. Uma espécie de porn music.

Os outros exemplares disponíveis no meu baú de música orquestral mostram bem como a banda ia de um lado para o outro. Seus mais de 100 discos abordam os mais diversos temas, como dá para perceber aí embaixo. A produção de lançamentos dessa franquia musical era alta e se utilizava de instrumentos valiosos, como informa a contra capa do disco onde eles tocam Burt Bacharach. Ali diz que só de instrumentos de cordas estavam investidos mais de meio milhão de dólares, com Stradivarius e Guaneris à disposição. 

No encarte promocional de um dos discos são mostrados vários outros lançamentos do grupo. Do clássico ao rock, como mostra tributo abaixo prestado ao saudoso beatle.

Jerry Wilton e sua Orquestra

Outro band leader um tanto quanto obscuro, que não tem muito material publicado na internet. Nesse disco a alegria impera absoluta. As músicas, todas instrumentais, são tão animadas que em certos momentos até enjoam. Mas é interessante a quantidade de instrumentos que recebem espaço para solos. Essa variedade chama atenção e leva a crer que não são poucos os músicos participantes. Infelizmente não dá para saber pois a escassez de informação é latente. O encarte promocional e o sorriso da moça acabam sendo os elementos mais elucidativos do conjunto todo. Não há ano de prensagem impresso no selo ou na capa. Mas enfim, vale pelo alto astral. 

Terceiro Mundo

Rock com atitude e mensagem, mas com raras informações sobre a banda. Tão raras que não achei nenhuma. Mas vamos ao som. Abre com rock a la Barão Vermelho, mas com vocais femininos. Um lado mais comercial Contagia a segunda, com um cantor mais comedido. E logo depois é balada mesmo, como anuncia o título Desejo de Amor. A malícia vem a seguir, parecido com Blitz, até na voz. Fecha com Deixa, na qual o Ivan J Rôssa, com mais ajuda dos teclados, discorre sobre não julgarmos as nações pelas suas culturas. 

Uma das vocalistas abre o lado B com Magia do Amor. Certo que a galera é do bem e fez uma linda música. Naturalmente é do tipo hino ecológico, com ritmo mais brasileiro passa perfeita mensagem: "a ecologia é essencial à população". O Gosto do Pecado volta pra sacanagenzinha.  Essa Fulana dá uma exagerada na rima. Tropicalismo Noturno fecha os trabalhos com a mais eclética das canções, chamando todos os ritmos brasileiros. 


BL Som - Florianópolis

A Lagoa da Conceição, lindo bairro da nossa amada Floripa, também tem um local especial para aquela boa garimpada de discos. Encostada na pracinha, mais precisamente na Travessa Leopoldo João Santos 113, está a BL Som. Além de um bonito acervo de vinis e cds, também está disponível uma variedade de instrumentos musicais usados e acessórios.

Dá para achar coisas muito boas nas prateleiras. Mesmo dando uma passada muito rápida por lá, o que não me permitiu explorar com cuidado todas as possibilidades, vi pelo menos uma dúzia de discos que facilmente estaria na minha coleção. Um em especial me deixou abalado, só não direi qual é amigos leitores, pois em breve vou lá para capturá-lo. 

Mas deixo aqui a dica para que visitem o acervo do simpático Ben Hur. Certamente completa com chave de ouro um passeio nesse pedaço abençoada da Ilha de Santa Catarina.

Contatos:
Telefone 48 3371-0836 / Email blsomlagoa@hotmail.com




Selva de Pedra - Nacional e Internacional

Mais uma dupla de novela. Agora com um disco para os brasileiros e outro para os gringos. Interessante que nos dois volumes a última música é repetida, mas executada por dois artistas diferentes. No nacional Rock'n'Roll Lullaby ficou por conta do Freesounds, e no internacional por B.J. Thomas. Além disso tem The Cure, Elton John, Sade, Lulu Santos, Ivan Lins, Beto Guedes, e por aí vai... É Friboi, Tony Ramos? 😜




Metalmorphosis - English Dogs

Se o punk foi uma raiz para o thrash, a rapaziada do English Dogs seguiu caminho contrário. O começo da banda foi totalmente punk. Mas depois a coisa seguiu com sonoridade mais pesada e complexa. Conseguiu bem nesse EP de 1986, com três músicas. Fato é que que a cabeleira da galera chama atenção. Mostra bem como a influência entre estilos está além do som. Acho que com se esses cabelos eles queriam dizer que até o hair metal também serve de inspiração. 
😁